O Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC) é uma instituição de Educação e Pesquisa Científica, pacifista, laica, universalista, sem fins de lucro, não doutrinária, independente, que se destaca pela excelência em cursos e publicações técnico-científicas sobre as ciências Projeciologia e Conscienciologia.

As ciências Projeciologia – estudo da Projeção da Consciência ou da Experiência Fora do Corpo - e a Conscienciologia - pesquisa da consciência, ego ou personalidade de maneira integral - foram propostas no Brasil e vêm conquistando espaço internacional, propondo novo paradigma para pesquisar a consciência.

Nas pesquisas projeciológicas e conscienciológicas, a consciência é estudada através do paradigma consciencial, facultando-lhe atuar, ao mesmo tempo, na condição de pesquisador, experimentador e objeto de pesquisa. São considerados outros corpos de manifestação, além do corpo biológico, a atuação em dimensões físicas e extrafísicas, o histórico de vidas e as interações bioenergéticas com seres e ambientes.

As pesquisas e as atividades oferecidas - Palestras Gratuitas, Seminários de Pesquisa, Cursos, Publicações, Congressos e Worshops - objetivam expandir e melhorar o entendimento da natureza humana e o desenvolvimento das habilidades parapsíquicas, através da investigação científica das manifestações da consciência, da experiência fora do corpo, da experiência de quase-morte (EQM) e demais fenômenos projeciológicos.

Fundado há mais de duas décadas (1988) e reconhecido com o título de Utilidade Pública Federal desde 1998, o IIPC atende à sociedade nas áreas Educacional, Empresarial e de Saúde, por meio de estrutura administrativa, docente e de pesquisa, em sistema de voluntariado técnico-científico. Possui pesquisadores atuantes em 15 Centros Educacionais de Autopesquisa localizados nas principais cidades brasileiras e 3 representações no Exterior.

No Brasil, os Centros Educacionais de Autopesquisa IIPC localizam-se em Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Foz do Iguaçu (PR), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Porto Velho (RO), Salvador (BA), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Foz do Iguaçu (PR) onde também está sua sede administrativa. As atividades do IIPC são oferecidas também em aproximadamente 60 Núcleos de Extensão - cidades que não possuem estrutura administrativa.

No exterior, o IIPC possui atividades em Buenos Aires (AR), Montevidéu (UY) e Luanda (AO).

FONTE: www.iipc.org


V Café com Ciência com Ismael Pinheiro Jr.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Teáticas do Equívoco


O livro Teáticas da Invexologia, do autor Flávio Amaral, distribuído gratuitamente na Livraria Epígrafe, no CEAEC (Centro de Altos Estudos da Conscienciologia), em Foz do Iguaçu, e cuja primeira edição está esgotada, provocou controvérsias, indignações e tomou 55 minutos da Tertúlia do dia 15 de janeiro deste ano, numa exposição acalorada sobre os desmandos do texto publicado, feita por muitos dos presentes, que haviam proposto ao autor, em mais de uma ocasião revisiva, as devidas correções de sua obra. A questão crucial reside na visão equivocada do autor ao tentar lançar mão da técnica invexológica em defesa do casamento, aborto e filhos, tópicos a serem evitados por quem aplica a técnica original, proposta pelo professor Waldo Vieira.

No cerne do problema está, contudo, um erro do autor, com sérias implicações autorais. Na tentativa de reinventar a velha roda, a obra desvirtua uma técnica original há muito já utilizada por inversores e propaga uma inverdade, causando aos desavisados uma desorientação de proporções anticosmoéticas e gerando um efeito borboleta oposto ao do esclarecimento, proposto pela Conscienciologia.

Podemos entender uma técnica como um cabedal de processos de uma arte, ciência ou ofício, com a finalidade de orientar a melhor condução de uma atividade para um resultado específico. Ora, se esses processos são alterados, o resultado será outro e, logo, a técnica será também outra. Isto é, a teoria e a prática invexológicas, propostas por Flávio Amaral, na verdade, indicam em seu livro a criação de uma nova técnica, segundo ele, evolutiva. Tivesse esta diretriz sido a intenção do autor, seus direitos de pesquisador estariam em condições de defesa, pois, no âmbito científico, novas técnicas surgem, se multiplicam e podem se consolidar a partir dos experimentos pessoais.

Se essa nova técnica do autor é eficaz ou não, válida ou não, cabe ao experimentador conferir. Mas o que  se discute na publicação do livro Teáticas da Invexologia é o dislate do título e a realização desautorizada de uma mudança. Como agravante, a sua teática é incoerente. A obra não apenas foge da real teoria e prática da invexologia, como o autor não é inversor. Também incoerente foi a decisão do autor de publicar uma obra previamente vetada pela Editora Editares ao fim de várias revisões e reuniões com os seus revisores, inexplicavelmente ainda citados como revisores na atual versão da publicação, como se a obra tivesse o aval final desta equipe - o que não teve. Teáticas da Invexologia é, na verdade, uma gestação consciencial que terminou em aborto.

11 comentários:

  1. Anticosmoéticos são os que metem o pau no autor por ele ter se desligado da instituição.

    É só ler atentamente o livro e comparar com o vídeo abaixo:
    www.youtube.com/watch?v=buNI2kStx-k

    ResponderExcluir
  2. Bem, se Waldo tem filhos e é considerado inversor, pergunto, ele é exceção? Ou só serve para os outros. Waldo também não casou?

    ResponderExcluir
  3. As cobranças feitas ao vivo na tertúlia pelo Waldo e outros menos importantes foram agressivas e anti-cosmoéticas, foi claro isto e que não se repita.

    Também teve culpa no cartório o Flávio porque sabe como funciona o esquema, que o CEAEC ainda está na fase de mera expansão das idéias do Waldo.

    Não há porque o Flávio discordar das idéias do professor, ele não tem ainda cacife para isto, não tem conhecimento e parapsiquismo para sair inventando.
    Deveria aprender e praticar até que um dia pudesse debater de igual pra igual com o professor e pedir licença para publicar suas idéias.

    Os dois erraram, o Waldo pelo excesso e descontrole emocional na tertúlia e o Flávio por ter traído a confiança do grupo.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. 1) Waldo Vieira não se considera inversor. Considera que aplicou a invéxis até os 42 anos de idade, depois se tornando reciclante.
    2) Flávio não foi considerado anticosmoético por se desligar de uma instituição, nem por publicar seu livro. Mas por ter se comprometido com algo e feito o contrário. O nome disso é traição e deslealdade (anticosmoética).
    3) Flávio fez cartas-respostas para um monte de pessoas, menos para o Waldo. Por quê? Não foi o Waldo quem o chamou de psicopata? Qual a intenção desse rapaz?

    E não foi só de psicopata que Waldo o chamou, disse que o livro "é branco por fora e sujo por dentro", "que foi o pior traidor da Conscienciologia até hoje", entre outras coisas. Notem que em nenhum momento, Waldo pediu desculpas ao Flávio... só abriu as portas para ele retornar... Então, onde está a "carta-resposta" ao Waldo?

    ResponderExcluir
  6. O primeiro parágrafo já mostra que vocês não leram, ou se leram, não entenderam, distorcendo o conteúdo do livro a seu bel prazer. Apontem alguma citação do livro que subsidia essas informações que vocês passam aqui.
    Os outros parágrafos mostram que vocês acreditam piamente na versão do seu líder, sem nem se darem ao trabalho de investigar ou contactar aquele que vocês criticam com tanta facilidade (e ingenuidade).
    Já escrevi exaustivamente sobre as falsidades que se contaram sobre o assunto (e que este blog ajuda a espalhar) acreditando estarem fazendo "tarefa do esclarecimento". O principal link está a seguir (ver também os links referenciados lá): http://autopesquisas.blogspot.com.br/2013/01/conscienciologia-nota-de-esclarecimento.html
    Meu contato vocês podem encontrar lá também, se precisarem.
    A Tertúlia que vocês retratam aqui conseguiu produzir, em 1 hora, mais MENTIRAS ABSOLUTAS do que as "verdades relativas" que vocês dizem produzir em 1 mês inteiro de trabalho. Continuar a espalhá-las é criar rabos presos para ter que corrigir depois. Como vocês podem ver pelo comentário "Anônimo" acima, e outros fundamentalistas que lemos por aí, a Conscienciologia, com esse comportamento, está atraindo para si cada vez mais sujeitos crédulos, acríticos, agressivos e sectários, prontos para se unirem em caças-às-bruxas, se assim seu líder determinar. Os que se dedicaram a causa e adquiriram alguma bagagem estão saindo, um depois do outro, como últimos exemplos a própria IAC e a ex-Primeira Dama.
    Convido aos responsáveis pelo texto acima para um hangout público, para que possamos colocar na mesa mais de 1 ponto de vista. Do contrário, sustentarei meu argumento de que vocês são incapazes de procurar duas versões do assunto, e só sabem fazer críticas protegidos por trás do véu institucional.
    Estou tirando um printscreen desta página, para poder mostrar ao público caso vocês prefiram deletar esta crítica.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. é muita falta de ÉTICA a pessoa usar o nome de uma instituição que nem voluntário é mais e trair a confiança das pessoas... por que nao lançou de maneira independente? pq ficou com medo de ir se defender na tertulia? Waldo errou no descontrole, mas a falta de ética é toda do traidor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que internautas como este "al.mor" ajudem a confirmar o nível de fanatismo de alguns simpatizantes conscienciológicos. Começam não tendo coragem de mostrar a cara, usando pseudônimos. Depois acreditam piamente na versão oficial, como perfeitos crentes. Por fim, mostram sua verdadeira face absolutamente belicosa, incapazes de ponderar com equilíbrio, aceitando um sistema draconiano de difamação e punição. E aí "al.mor", que tal um hangout público e civilizado? Você teria capacidade psicológica para isso?

      Excluir
  10. com certeza, Flávio! se vc topar passar no PSIQUIATRA primeiro, pq com gente assim não há como perder tempo ( nem raciocinar sobre o que faz consegue). Reveja sua postura na tertulia do verbete texticulo e anote ali a sua intenção de taxar as coisas sem analisar, só para aparecer! cresça e apareça, rapaz! estive com vc no CEAEC no mesmo dia e vc nao mudou nada!

    ResponderExcluir